UMEAB

Por iniciativa de Alice Kinsolving da Paróquia do Salvador na cidade de Rio Grande (RS), foi criada em 1898 a Sociedade Auxiliadora das Senhoras, que posteriormente se tornaria na União das Mulheres Episcopais Anglicanas do Brasil (UMEAB). No mesmo ano, a Sociedade enviou uma doação 200 dólares para a Oferta Unida nos Estados Unidos, cujo resultado era direcionado à missão da Igreja não apenas naquele país, mas em todo o mundo.

 

O que as futuras décadas proverão, não sabemos. No entanto, as mulheres que sonharam com o apoio ao trabalho missionário foram apenas o começo desta história.

A Oferta Unida de Gratidão (OUG)

O que é a Oferta Unida de Gratidão?

"Tu tens me dado tanto... me dê uma coisa mais, um coração agradecido."
George Herbert (1595-1633), poeta e sacerdote anglicano.

A Oferta Unida de Gratidão (OUG) é um ministério da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), que proporciona um meio pelo qual homens, mulheres e crianças mostrem sua gratidão diária a Deus. A devoção começa em casa ao depositar moedas em um recipiente especial, a “caixinha azul”, nome por qual também é conhecida esta oferta.

 

Em alguns lugares, as pessoas colocam suas ofertas em envelopes azuis, com o mesmo propósito e o mesmo senso de gratidão. O dinheiro recebido é usado para ajudar aos outros. Todo centavo é usado para apoiar missões e o ministério da Igreja.

Caixinha Azul 2019 - Baixa.jpeg

O dinheiro é recolhido sempre no domingo anterior ao Advento. Após sua contabilização, valor arrecadado é então direcionado por um grupo de trabalho para projetos missionários ou sociais da IEAB. Todo centavo é usado para apoiar o ministério da Igreja.

Um breve histórico da Oferta Unida de Gratidão

 

"Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração."
Mateus 6:21

Na celebração do Women’s Auxiliary (o equivalente a atual UMEAB) durante a Convenção Geral da Igreja Episcopal dos Estados Unidos de 1886, a Sra. Ida Soule recolheu a quantia de oitenta e sete dólares, e sugeriu a Julia Emery que a oferta poderia ser maior, caso as mulheres soubessem no que o dinheiro seria utilizado. Desta forma, na Convenção Geral seguinte, em 1889, foi coletada a primeira Oferta Unida, como parte dos esforços missionários do Women’s Auxiliary.

Os objetivos desta primeira Oferta Unida que inspiraram as mulheres a rezar e entregar moedas foi a construção de uma nova igreja em Anvik, Alasca, além de enviar uma mulher missionária ao Japão. As ofertas alcançaram US$ 2.188,64, contemplando os objetivos iniciais. Nestes primeiros anos, o foco principal da oferta foi a expansão do trabalho missionário da igreja. Pelas décadas seguintes, a Oferta Unida expandiu-se com a mudança de lideranças e expectativas da sociedade, alterando seu nome para Oferta Unida de Gratidão (United Thank Offering) em 1919.

Fontes:

* KICKHÖFEL, Oswaldo. Notas para uma história da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Projeto Memória, Porto Alegre, IEAB, 1995.
* United Thank Offering Handbook, The Episcopal Church, 2003.

 

Reflexões sobre a Caixinha Azul

"Deus todo-poderoso;
nos dê a semente para que semeemos,
e o pão para que comamos;
nos torne agradecidos pelo que temos recebido;
nos torne ricos para fazer aquelas coisas generosas
que dê a teu povo suas necessidades;
para que todo o mundo lhe possa dar graças e glória."

Livro de Orações da Nova Zelândia.

"Nunca se supôs que a gratidão fosse restrita a um único dia."
Autor desconhecido.

Um exercício de gratidão

 

Por Godofredo Winnischofer e Ricardo Ito, Diocese Anglicana de São Paulo.

 

A Oferta Unida de Gratidão (OUG) ou caixinha azul é um dos ministérios da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) no qual agradecemos diariamente por todas as bênçãos que Deus nos dá em nosso cotidiano. Posteriormente unidas com as ofertas de outros membros da Igreja, o montante final do dinheiro é utilizado para que mais pessoas possam testemunhar o amor de Deus. Façamos dela, portanto, um pequeno exercício de gratidão, em todos os sentidos.

Normalmente agradecemos primeiro pela bênção recebida, e então colocamos uma moeda ou nota dentro da caixinha azul. Mas, por vezes, seja pelas dificuldades ou pela nossa própria cegueira, não enxergamos as dádivas que são entregues diuturnamente por Deus. E às vezes, ainda temos  a impressão de que não reconhecemos o suficiente as dádivas que nos são ofertadas. Por estes motivos, convidamos a todos a experimentarem uma outra forma de exercício: Colocarmos inicialmente as moedas na caixinha azul, certos das inumeráveis bençãos que vem de Deus, pois como nos diz Tiago, “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” (Tiago 1:17) Posteriormente, exercitemos então nossa percepção pelas coisas boas que nos foram concedidas diretamente por Deus, ou indiretamente, através de nossos conhecidos ou até mesmo por desconhecidos. Desta maneira, com uma simples pergunta, “o que me ocorreu hoje de bom?”, relembramos os fatos do dia e percebemos que de fato muito mais nos foi agraciado do que inicialmente pensávamos.

 

As bençãos de Deus não estão apenas nas coisas “grandes” que nos agradam, mas também nos pequenos e importantes detalhes, como o sorriso de uma criança, o abraço de uma pessoa querida, as palavras gentis e a ajuda de um estranho, e também nas dificuldades que nos fortalecem e aumentam nossa experiência, pois estas também são pérolas pelas quais devemos agradecer.

Com este exercício de gratidão, que também pode se tornar em uma prática de oração de ação de graças, ficaremos mais cientes da presença de Deus ao nosso redor e em nossa vida. Vamos tentar?